sábado, 10 de junho de 2017

DORMINDO COM O INIMIGO...

Sentou-se no leito enquanto ao lado um parceiro, gordo como uma porca, babava
estirado na cama. Mais uma vez a filha de uma família abastada se questionava quanto ao que teria na cabeça para se entregar a qualquer um depois de umas cervejas e, as vezes, um "cigarrinho", que sempre aparece nos barezinhos de final de semana. Se eu acordasse depois desse cara - pensava - com certeza teria encontrado uma nota de 50 paus jogada na mesa para, submissa e devedora da generosidade do gesto, tomar um táxi para casa. Mas se ela se levanta primeiro, como agora, quem paga a corrida é a sua insensatez, também por achar que não teria estômago para encarar uma pessoa que a levou à cama sem que em sã consciência se permitisse. Vestiu-se, tomou no ombro a bolsa, e atrás dos calcanhares bateu a porta. Ganhou a rua, parou um táxi e volto à agonia do silêncio do seu canto para, certamente, refazer no dia seguinte ou no escurecer da mesma tarde o que acaba de lastimar...

Um comentário:

  1. Gostei de ler o seu texto. Mas a imagem que o ilustra é simplesmente deliciosa...
    Uma boa semana.
    Um abraço.

    ResponderExcluir


Diga o que quiser do jeito que você souber.




.