sexta-feira, 24 de março de 2017

ME MATA OU EU TE MATO, DE CIÚME.

     Quantas vezes eu bebi por tua causa. Quantas outras por ti me embriaguei. Quantas vezes acordei por ti chorando e quantas noites nem dormir eu consegui. Muitas foram as ocasiões que eu jurei acabar contigo. Já quis apertar o teu pescoço e com a boca junto a tua boca dizer o que eu sempre quis, mas se coragem e força eu tivesse, beijar-te era o que me aconteceria. Já quis sangrar-te até a morte por teres me cercado, preso, julgado e condenado a viver o resto dos meus dias sentindo o que por ti me mata a cada dia. Já bebi e não comi. Já acordei sem ter dormido. Já rezei para esquecer-te, mas antes me preocupei com tua gripe. Enfim, força e coragem para acabar com a vida de uma pessoa eu sei que não possuo ou eu teria acabado com a minha como tu estás fazendo.